Por Rafael Sacharny


Autoridades realizaram uma inspeção no CT George Helal, o Ninho do Urubu, na manhã desta terça-feira (12), para definir se há necessidade de interdição. O Corpo de Bombeiros e a Prefeitura do Rio chegaram ao local de treinamentos do Flamengo pela manhã.

Leia mais: Diego é o primeiro a dar entrevista coletiva após tragédia.

A Polícia Civil e o Ministério do Trabalho também participaram. O objetivo é apurar possíveis irregularidades no local, onde dez garotos morreram e outros três ficaram feridos em um incêndio na última sexta-feira (8). 

Durante a madrugada do acidente, o incêndio atingiu o alojamento dos atletas da divisão de base do futebol do clube, que ficava na área mais antiga do centro de treinamento. 

Na vistoria foi feito o recolhimento de informações técnicas e a requisição de alguns documentos ao Flamengo, para avaliação por parte da perícia e dos profissionais. 

Antes do relatório conclusivo, a perícia criminal da Polícia Civil constatou que a espuma do modulo habitacional do CT do Flamengo não propaga o fogo. Segundo o portal do O Globo, a explicação para a chama consumir rapidamente o alojamento foi de que havia muitos colchões em um espaço muito pequeno. Além disso, as peças do aparelho de ar-condicionado, que eram de plástico, também ajudaram na propagação do fogo. 

O Ministério Público emitiu uma nota explicando o processo de vistoria: 

“MPRJ, Defensoria e MPT realizam vistoria técnica no Ninho do Urubu 

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) e o Ministério Público do Trabalho (MPT) realizaram vistoria técnica, nesta terça-feira (12/02), no Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio. 

As instituições que compõem a força-tarefa recolheram informações técnicas relacionadas às instalações do Ninho do Urubu e a questões ligadas à proteção dos direitos da infância e da juventude. Representantes do Flamengo estiveram presentes e franquearam o acesso às dependências do centro. Foram requisitados documentos para embasar posterior análise da perícia. 

Também estiveram presentes representantes da Polícia Civil do Estado, do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e da Prefeitura do Município do Rio, que recolheram material para a complementação do parecer sobre a inspeção. 

Como já anunciado, cada instituição apresentará relatório conclusivo na próxima sexta-feira (15/02), em reunião a ser realizada às 10 horas na sede do MPRJ, para a adoção das medidas cabíveis junto ao clube para a regularização do CT.”