Nesta segunda-feira (10), o novo técnico do Flamengo, Jorge Jesus, foi apresentado oficialmente pela diretoria rubro-negra no Ninho do Urubu. Marcos Braz foi o porta-voz na coletiva que contou com jornalistas da imprensa portuguesa. Após acompanhar o clássico contra o Fluminense, no Maracanã, o treinador português foi apresentado, mas ainda não enfrenta como técnico o CSA nesta quarta-feira. JJ, como é conhecido, começa a treinar a equipe na pausa para a Copa América e estreia com o Flamengo contra o Athletico-PR, pela Copa do Brasil.

Entrevista 

Jorge Jesus já chegou falando o que o torcedor gosta de ouvir. Sabendo da torcida exigente, o técnico disse que vai buscar uma qualidade de jogo superior para levantar títulos: 

– Quando você treina uma equipe como o Flamengo, uma das melhores equipes de um país, os torcedores querem, além da vitória, qualidade de jogo. Ganhar somente não é o bastante. Isso é normal. Quem joga no Flamengo tem que perceber essa exigência, que é preciso além da vitória – disse o português.  

– Desde que cheguei ao Flamengo, não conhecendo por dentro, sabia o que era o Flamengo. Agora, tenho ainda mais convicção. É um grande clube, grande marca desportiva, capacidade de estrutura e organização. Não existe um grande clube sem uma massa de torcedores como o Flamengo tem. 

Sobre o elenco rubro-negro, ele afirmou que conhece o plantel pois costuma assistir aos jogos do Campeonato Brasileiro. Nas contratações de possíveis jogadores, Jorge já deu sugestões e participou do acordo com Rafinha. 

– Claro que conheço o elenco. Não vi o Flamengo a partir do momento que me convidaram, eu vejo todos os jogos do futebol brasileiro em minha casa. Não conheço tão bem os jogadores como o Marcelo, mas vou conhecer. Quando conversamos, já tinha posições que pensavam ser importante contratar e concordei. Acrescentei mais uma ou duas e estamos em sintonia. 

Jorge Jesus é o 11º treinador estrangeiro da história do Flamengo. O mais recente tinha sido o colombiano Reinaldo Rueda, vice-campeão da Copa do Brasil e da Sul-Americana, em 2017. O maior vencedor é o paraguaio Fleitas Solich, comandante entre 1953 e 1957, quando conquistou o tricampeonato carioca 53/54/55. 

Coletiva de Jorge Jesus – Íntegra